Apresentação do Município

Foto

A matriz econômica do Município ainda se baseia no setor primário, com destaque para as cadeias produtivas vinculadas à pesca e ao agronegócio, focado na pecuária e na produção agrícola. São José do Norte é reconhecida pelo cultivo de arroz e, principalmente, pela cebolicultura. O Município recebeu o título de Capital Nacional da Cebola por ter sido considerado o maior produtor do bulbo no País.

Nas últimas décadas, anteriormente ao surgimento do polo naval, a instalação de empresas especializadas na extração de resina, corte e beneficiamento da madeira oriunda das extensas áreas de florestas de Pinus potencializou o mercado de trabalho e a economia nortense.

História

São José do Norte foi primitivamente habitada pelos índios Carijós, Charruas e Minuanos, mas a consolidação de seu povoamento se deu com a chegada dos açorianos, que se dedicavam ao cultivo da terra.

Em 25 de outubro de 1831, ocorreu a emancipação do Município e a criação da vila de São José do Norte, onde, em 16 de julho de 1840, travou-se a mais sangrenta batalha da Revolução Farroupilha, comandada pelo General Bento Gonçalves.

Pelo desempenho da guarnição local na luta contra os Farrapos, em 31 de julho de 1841, D. Pedro II agraciou à terra de povo bravo e acolhedor que o hospedou com o honroso título de “Mui Heróica Villa”, a qual em 31 de março de 1938 foi elevada à categoria de cidade.

Além de ser bonito por natureza, São José do Norte é, indiscutivelmente, abençoado por Deus, por propiciar condições naturais para uma forte atração de investimentos diversos e muitas alternativas estratégicas para o desenvolvimento.

Fica um derradeiro e especial convite: “venha participar deste progresso”.